Saúde 4.0: o que é, principais tecnologias e como se preparar

saude 4 0 coracao

Os inúmeros avanços promovidos pelas inovações tecnológicas não são novidade para ninguém. A cada segundo, novas tecnologias surgem para facilitar o nosso dia a dia.

E ela não para de nos surpreender. As inovações tecnológicas estão mudando a rotina de centros de diagnóstico, clínicas e hospitais.

A partir do momento em que a digitalização de processos e a inteligência artificial adentraram à medicina, surgiu o conceito de saúde 4.0, que tem revolucionado a relação entre estas instituições e seus pacientes.

Ao contar com mecanismos automatizados, é possível aumentar a produtividade e a segurança, além de reduzir os custos para o negócio. Investir em tecnologia é, portanto, sinônimo de otimização de tarefas e oferta de serviços de elevada qualidade.

E você já ouviu falar sobre este conceito que está entre o que há de mais moderno em todo o âmbito da medicina e da saúde no geral?

Uma grande parte das inovações presentes no setor são derivadas do que a Saúde 4.0 trouxe. Se você quer saber um pouco mais sobre o que é a Saúde 4.0 e as tecnologias que ela proporcionou, este artigo é para você.

O que é a Saúde 4.0?

saude 4 0 estetoscopio

O conceito de saúde 4.0 refere-se à integração do mundo tecnológico com a medicina, abrangendo o uso de softwares de gestão, cloud computer, mecanismos automatizados, internet das coisas e muitos outros.

O termo guarda uma estreita relação com a quarta revolução industrial, também chamada de indústria 4.0, que teve início em meados de 2011 e proporcionou a informatização dos processos industriais. Assim, a tecnologia presente nos mecanismos de produção tem beneficiado também a área da saúde.

Resumidamente Saúde 4.0 é a união do universo da tecnologia com o da saúde através da computação em nuvem e internet das coisas (IOT) nos dispositivos médicos, smartphones e outros dispositivos para trazer os melhores recursos médicos para prevenir e não remediar as doenças.

Qual é a importância da Saúde 4.0?

saude 4 0 batimentos cardiacos

Com o objetivo de fornecer recursos médicos para profissionais e pacientes, a saúde 4.0 contribui para a prevenção de doenças e promoção de bem-estar e qualidade de vida para toda a sociedade.

Isso porque permite diagnósticos mais ágeis e precisos, bem como um acompanhamento próximo e humanizado.

A Internet das coisas, por exemplo, faz com que sistemas digitais passem a atuar de forma integrada, baseando-se na comunicação e cooperação.

Logo, os processos relacionados ao monitoramento de pacientes se tornam mais ágeis, permitindo maior assertividade nos resultados almejados.

Esses benefícios também são equivalentes aos profissionais de saúde, uma vez que a Saúde 4.0 oferece mais agilidade para a sua atuação como um todo.

Quais os benefícios da Saúde 4.0?

saude 4 0 amor

A tecnologia é uma forte aliada no atendimento humanizado, que é um dos objetivos de toda instituição médica que deseja entregar o melhor serviço a seus pacientes — tarefa complexa de se conquistar.

Uma das principais práticas da humanização é o relacionamento profundo entre médico e paciente, com conversas olho no olho, escuta de suas queixas e empatia com sua condição de saúde.

Com um software de gestão, que agiliza o acesso às informações do paciente, o tempo da consulta destinado para investir em uma relação harmoniosa é muito maior, visto que o profissional não vai precisar encontrar os dados que precisa em pastas lotadas de papel.

Além disso, todos os equipamentos tecnológicos utilizados dentro da clínica ou hospital contribuem para um diagnóstico preciso, tratamento eficaz e recuperação completa da saúde dos pacientes, o que é visto com bons olhos por eles.

Rapidez na identificação do perfil de saúde

Adotar características da saúde 4.0 significa investir mais em soluções digitais. Como consequência, consegue-se levantar, de forma mais rápida e precisa, as condições de saúde dos beneficiários e criar perfis cada vez mais completos de cada um deles.

O que isso quer dizer? Mais rapidez e agilidade na identificação do perfil de saúde de cada paciente atendido.

Tudo isso auxilia na hora de realizar análises e identificar grupos de risco (por exemplo, com base em histórico familiar e nos hábitos) e sinalizar quando é necessário promover uma atenção extra.

A partir daí, se o plano de saúde sabe que tem determinada quantidade de beneficiários com hipertensão, por exemplo, inicia-se um trabalho de orientação a respeito de acompanhamento médico, mudanças nos hábitos alimentares e necessidade de realizar atividades físicas.

O objetivo é promover a atenção primária, evitando que as pessoas desenvolvam condições de saúde a ponto de precisar fazer uso da emergência, o que onera bastante o plano.

Diminuição de sinistros no plano de saúde

À medida que soluções inovadoras vão sendo colocadas em prática, fica mais fácil identificar as principais causas de sinistros nos planos e o que precisa ser feito para diminuir esse índice.

Não só isso, a tecnologia também contribui para cruzar informações a respeito dos usuários e identificar grupos que precisam de atenção específica. Assim, em vez de contar com suposições, é possível se basear em modelos preditivos para atuar sobre os problemas antes mesmo que eles aconteçam.

Em outras palavras, isso está ligado à identificação de fatores de riscos e de quais medidas preventivas devem ser tomadas para evitar que as pessoas adoeçam e precisem usar o convênio em decorrência de situações que poderiam ser evitadas.

Promoção de diagnósticos mais precisos

Outra grande vantagem da Saúde 4.0 é poder contar com tecnologias responsáveis por criar, armazenar e compartilhar informações sobre os pacientes – com o devido respeito ao sigilo médico e às leis de proteção de dados.

Dessa forma, é possível obter históricos cada vez mais completos, diagnósticos mais precisos, além da possibilidade de estratificar essas pessoas de acordo com determinadas características e indicar tratamentos mais direcionados.

Com base nas informações de utilização do plano de saúde, as operadoras podem desenvolver programas de prevenção e de melhoria na qualidade de vida para os beneficiários, ou até mesmo terceirizar esse serviço a uma empresa de gestão de saúde.

saude 4 0 medindo pressao

Práticas de medicina preventiva

É fácil perceber os impactos e mudanças positivas no que diz respeito ao acompanhamento dos pacientes e ao desenvolvimento de opções de tratamentos através da Saúde 4.0.

Isso está ligado ao que foi abordado no tópico anterior: planos de saúde, com o auxílio da tecnologia, gerando informações relevantes a respeito dos usuários e criando práticas de medicina preventiva visando a saúde e bem-estar de seus beneficiários.

Com informações ágeis e relevantes é possível criar programas para promover cuidados preventivos com a saúde, o que inclui:

  • alimentação saudável;
  • controle de estresse;
  • controle do peso/obesidade;
  • acompanhamento de pacientes crônicos;
  • ações voltadas para o envelhecimento saudável.

Acompanhamento personalizado

A coleta e análise das informações também permite entender melhor os perfis dos pacientes. Isso torna o atendimento e o acompanhamento mais personalizados. Assim, mesmo com o alto uso de tecnologias, a tendência é que as relações se tornem ainda mais humanizadas.

É essa proximidade que ajuda a entender melhor as necessidades de cada indivíduo, para oferecer soluções direcionadas para os problemas apresentados. Dessa forma, os resultados alcançados são mais efetivos.

Gestão da saúde integrada

É exatamente por meio da gestão da saúde integrada que se consegue entender todo o contexto clínico do paciente e como o histórico afeta sua condição de saúde. Com a Saúde 4.0, fica mais fácil levantar e consolidar essas informações em um único lugar.

Otimização de tempo e custos

A Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde já apresentou dados revelando benefícios importantes conquistados através da Saúde 4.0: otimização de tempo e custos.

A expansão do recurso móvel de saúde poderia contribuir significativamente para melhorar a atenção básica e reduzir os deslocamentos e o uso intensivo de médicos. Também ajuda a economizar recursos públicos e, principalmente, melhorar a qualidade e expectativa de vida da população brasileira.

Esse conceito envolve organizar os processos de uma empresa para que tenham como foco evitar desperdícios de recursos, de tempo, o aumento da segurança do paciente dentro da instituição e o crescimento da produtividade das equipes de saúde.

Organização das informações clínicas

A organização das informações clínicas é outro grande benefício da Saúde 4.0.

A tecnologia avançada permite que os exames sejam mais rápidos e os diagnósticos mais precisos. Isso faz com que os pacientes se sintam mais seguros e os médicos mais confiantes, aumentando muito as chances de recuperação.

Além disso, a tecnologia digital proporciona que os médicos obtenham informações mais rapidamente e gastem tempo com os pacientes em vez de se deslocarem.

Com uma organização de informações clínicas otimizada, a checagem à beira leito, por exemplo, se torna algo mais preciso. Afinal, essa é a última possibilidade de barrar erros de medicação. Esse mecanismo digital confronta a identificação do medicamento com a identificação do paciente e sua respectiva prescrição.

Essa é mais uma garantia para a segurança do paciente e, consequentemente, do profissional da saúde.

Quais são as principais tecnologias da Saúde 4.0?

saude 4 0 tela

Existem diversos recursos dentro da Saúde 4.0 que já estão sendo utilizados por clínicas e hospitais em prol da melhoria de processos e benefícios diretos aos seus pacientes. Todavia, as principais tecnologias da Saúde 4.0 são:

Software médico na nuvem

O uso de um sistema de gestão em nuvem permite que os médicos e demais profissionais da saúde trabalhem com prontuários eletrônicos, que podem ser acessados de qualquer local que tenha conexão com a internet.

Todas as informações do paciente são inseridas nesse software, que ficam disponíveis para acesso rápido, facilitando a ação do médico em casos de emergência.

Também é bastante útil para construir e verificar o histórico da saúde do indivíduo, promovendo agilidade às consultas e proporcionando diagnósticos mais eficazes para os pacientes.

Não podemos deixar de destacar a redução de custos operacionais, a segurança no armazenamento de dados e a diminuição do impacto ambiental com o uso reduzido de papéis. As informações sobre os pacientes ficam protegidas de qualquer acidente, como perdas, danos, e ações de terceiros mal intencionados.

Dispositivos médicos

As inovações em dispositivos médicos abrangem desde inovações em curativos e camas de hospital, até implantes, marca-passos, equipamentos de radiografia e ressonância magnética. Todos eles são utilizados para elevar a qualidade do diagnóstico de doenças e recuperação integral da saúde dos pacientes.

A Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde já é composta por mais de 400 empresas que atuam na produção, importação e distribuição destes produtos e equipamentos para as instituições médicas. O que mostra que a Saúde 4.0 é algo que envolve inúmeras pessoas e empresas.

Internet das coisas

A internet das coisas impressiona até mesmo quem trabalha com tecnologia. Também conhecida como IoT, sigla para o termo inglês Internet Of Things, é a ideia de integrar o mundo real ao digital.

É, basicamente, a integração de objetos do nosso cotidiano com a computação e a internet. Na área da saúde e do bem-estar, temos um exemplo que está se popularizando cada vez mais: os relógios que são capazes de medir os batimentos cardíacos do usuário, por exemplo.

saude 4 0 maos

Big Data

O Big Data refere-se à captura, análise e interpretação de um grande volume de dados, originados de diferentes fontes. Na medicina, seu objetivo é identificar características semelhantes entre indivíduos de um mesmo grupo.

Isso significa uma redução nos custos de pesquisas e nas previsões de diagnósticos. Veja alguns exemplos práticos da sua aplicação:

  • Em questões de eventos relacionados à saúde dos pacientes, como as chances de sucesso de um determinado tratamento em indivíduos de determinada idade;
  • Na antecipação da rotina, refletindo-se na agilidade dos processos de consulta, como a reorganização do agendamento em determinadas épocas do ano em que o aparecimento de enfermidades torna-se mais comum.

Ou seja, ao utilizar as técnicas de Big Data para traçar um perfil, é possível prever complicações e monitorar a efetividade de tratamentos.

e-Saúde

Conhecido também como telemedicina ou telessaúde, o e-Saúde permite que serviços médicos sejam realizados a distância, beneficiando principalmente populações afastadas dos grandes centros de atendimento médico.

Assim, é possível fazer diagnósticos, consultas, tratamentos e até cirurgias de forma remota, sem custos com deslocamento.

Ademais, o e-Saúde também inclui equipamentos que fazem a monitorização dos parâmetros fisiológicos dos pacientes, como dos batimentos cardíacos, e enviam os dados diretamente para o médico, permitindo o acompanhamento constante das suas condições de saúde.

Como médicos, enfermeiros e pacientes podem se preparar para a Saúde 4.0?

É fato que a revolução tecnológica já chegou na área da saúde, por isso, é fundamental que as instituições reconheçam a importância da tecnologia e as contribuições que ela tem a fazer. É a partir daí que fica mais fácil se preparar, avaliando, inicialmente, quais são os desafios a serem superados.

Se preparar para a Revolução 4.0 na área da saúde é ter em mente que algumas das atividades operacionais e repetitivas do passado serão gradualmente substituídas por automações e será necessário que os profissionais desenvolvam ou se dediquem a capacidades cognitivas mais complexas e criativas.

No entanto, esses profissionais, assim como os pacientes, terão inúmeros benefícios como pudemos ver no decorrer desse artigo. Ter mais tempo para que médicos e enfermeiros se dediquem de fato aos pacientes e familiares, é uma delas.

Outra habilidade pertinente e fundamental para o sucesso da profissão na era 4.0, será a disposição para o trabalho em equipe ou em grupos multidisciplinares. Durante o trabalho em equipe será preciso estudar, analisar e obter informações para que a partir de um grande conjunto de dados seja definida a melhor e mais inteligente solução para a uma tomada de decisão assertiva.

Com tudo, acredita-se que a Saúde 4.0 chegou e é uma ótima oportunidade de melhorar tanto o sistema de trabalho dos profissionais, como também uma maneira de reduzir o tempo dos pacientes dentro de um hospital, por exemplo. Estar preparado para essa mudança não é somente a possibilidade de crescer na carreira, mas sim a oportunidade de fazer a diferença na vida de alguém.

Conclusão

A Saúde 4.0 já é uma realidade, e adotar os seus recursos é mais uma questão de adaptação que de preparação. É inegável que isso vai transformar toda a rotina médica, desde os atendimentos, passando pelos aparelhos utilizados e influenciando diretamente os diagnósticos.

Entretanto, a tendência deve ser encarada de maneira positiva, afinal, promove benefícios tanto para os profissionais quanto para os pacientes.

A verdade é que a tecnologia é e sempre foi uma forte aliada no atendimento humano, que é um dos objetivos de toda instituição médica que deseja entregar o melhor serviço aos pacientes. O contato entre paciente e médico gera mais tranquilidade. Muitas vezes, a saúde daquela pessoa está comprometida, e a conversa real com um médico pode aliviar as preocupações.

Com um dispositivo de gestão, com a função de agilizar todos os processos, o acesso às informações do paciente, o tempo da consulta destinado para investir em uma relação harmoniosa é muito maior. O profissional poderia passar mais tempo com o paciente, sem precisar gastar minutos ou horas com pastas de papel.

Com atendimento bom, agilidade, tratamentos eficazes, diagnósticos precisos, qualquer um ficaria mais seguro, o que é excelente. A adição da tecnologia não significa distância humana, mas sim, uma aproximação com recursos mais rápidos e precisos.

Resumidamente, processos como computação em nuvem, Internet das Coisas e Big Data já estão revolucionando a maneira de fazer medicina. É necessário ver a Saúde 4.0 além das questões da tecnologia, mas sim como uma maneira de salvar vidas.

Afinal, ela não promove só agilidade nas consultas e a satisfação em termos de atendimento. Está cada vez mais empenhada em descobrir rapidamente o que afeta a sociedade e quais os meios mais rápidos para tratar dessas enfermidades.

Se você quer saber mais sobre novas tecnologias aplicadas à saúde conheça a plataforma Sinaxys. Conectamos profissionais de saúde com oportunidades no mercado de trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *